Acidentes mais comuns com a criança de 2 a 3 anos
12 de junho de 2017
Criança segura
12 de junho de 2017

Afogamentos
A liberdade e independência da criança nessa fase estão associadas a não interpretação adequada de possíveis riscos envolvidos em atividades simples como nadar. Por isso quando a criança está próxima de mar, piscina, lagos ou rios é fundamental que a criança seja orientada e mantida sob vigilância. São medidas importantes:

– Manter cisternas, tonéis, poços e outros reservatórios domésticos trancados ou com alguma proteção que não permita “mergulhos”.
– Piscinas devem ser protegidas com cercas de no mínimo 1,5m que não possam ser escaladas e portões com cadeados ou trava de segurança para dificultar o acesso.
– Bóias e outros equipamentos infláveis passam uma falsa segurança. Eles podem estourar ou virar a qualquer momento e ser levado pela correnteza.
– Próximo a rios, mares, lagos e piscinas o ideal é o uso de colete salva-vidas.
– Crianças devem aprender a nadar com instrutores qualificados ou em escolas de natação.
– No mar respeite as placas de correnteza e proibido nadar.
– A piscina sempre deve dar “pé”.

Atropelamentos
Uma medida efetiva para se prevenir atropelamentos é ensinar as crianças desde muito cedo a ter um comportamento de “pedestre” seguro. Oriente seu filho a:

– Atravessar a rua olhando para ambos os lados.
– Respeito aos sinais de trânsito e faixas de pedestres.
– Crianças menores de 10 anos devem sempre atravessar a rua acompanhadas de um adulto, eles não tem capacidade de julgar e agir frente aos riscos.
– Não permita que a criança brinque em entrada de garagens, quintais sem cerca, no meio da rua ou em estacionamentos.
– Nunca atravessar a rua correndo.
– Para descer de veículos (transporte coletivo) assegure-se que ele esteja totalmente parado.

Acidentes com bicicleta, skate e patins
A independência e mobilidade dada às crianças por esses brinquedos devem vir acompanhado de cuidados para que se evite acidentes. São eles:

– A utilização desses brinquedos exige responsabilidade e respeito às leis de trânsito.
– Utilize equipamentos de proteção apropriados: capacete (fundamental), joelheira, cotoveleira, etc adequados para o tamanho da criança. Todos devem ter o selo do INMETRO.
– Para condução desses brinquedos o ideal é a utilização de sapatos fechados e ajustados aos pés.
– A utilização desses brinquedos deve acontecer em locais seguros como parques, ciclovias e praças. Fora do fluxo de carros, piscinas, lagos, sacadas e escadas.
– Mantenha as crianças sob vigilância até que elas tenham desenvolvido plenamente suas habilidades para controle dos brinquedos.
– Cheque se o funcionamento dos equipamentos e brinquedo estão bons. Não permita que as crianças utilizem brinquedos danificados.

Queimaduras
Elas podem acontecer por chama, calor direto, líquidos quentes ou choque elétrico. Para preveni-las, você deve:

– Manter as crianças longe da cozinha e do fogão, principalmente durante o preparo das refeições.
– Não deixe as crianças brincarem por perto quando você estiver passando roupa nem largue o ferro elétrico ligado sem vigilância.
– Cuidado com os fios dos outros eletrodomésticos.
– Não permita que as crianças brinquem com fogo.
– Não permita brincadeiras com fogos de artifício.
– Verifique as instalações elétricas. Fios desencapados podem ser muito perigosos.
– Pipas devem ser empinados, sem cerol, somente em campos abertos e sem fios.
– Não deixa fósforos, isqueiros ou outras fontes de chamas ao alcance de crianças.
– Não permita o acesso de crianças à líquidos inflamáveis (álcool, perfumes, etc).

Quedas
Principal causa de internação por acidentes no Brasil. Podem causar lesões graves como fraturas e traumatismo craniano. Algumas orientações nesse sentido são importantes:

– As crianças devem brincar em locais seguros. Cuidado com escadas, sacadas e lajes sem proteção.
– Instale grades ou redes de proteção nas janelas, sacadas e mezaninos.
– Mantenha camas, armários e outros móveis longe das janelas, pois podem facilitar que crianças os escalem e se debrucem
– Cuidado com pisos escorregadios e coloque antiderrapante nos tapetes.
– Apartamentos devem ter em suas janelas e sacadas telas de proteção resistentes.

carlos
carlos
Médico Pediatra formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Fez Residência Médica em Pediatria pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Membro da Sociedade Brasileira e Paulista de Pediatria. Faz parte do Corpo Clínico dos Hospitais Albert Einstein, Sírio Libanês e Santa Catarina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *