Sinais e sintomas comuns na fase escolar
24 de abril de 2017
Respostas sobre a ASMA
24 de abril de 2017

O tempo normal de uma gestação é de 40 semanas, que chamamos de 9 meses. Porém, há uma variação esperada e dizemos que uma criança pode nascer entre 37 a 42 semanas.

Se a criança nasce antes de 37 semanas (por volta de 8 meses), considera-se que ela nasceu antes do tempo e, portanto, a gestação teve um término prematuro e o bebê é um pré-termo. Um bebê hoje pode nascer até com seis meses de gestação. Quanto mais cedo o bebê nascer, menor será o seu peso e mais imaturo será seu organismo.

Um bebê pode nascer antes do tempo por doenças ou problemas que aconteceram com a mãe (diabetes, hipertensão arterial, tabagismo, infecção) ou da própria criança (alterações de formação, problemas genéticos e da placenta).

Quais os principais problemas que uma criança prematura pode ter logo após o nascimento?

 

 

Dificuldade para respirar por imaturidade dos pulmões;

 

Icterícia: pele amarela que precisa de banho de luz;

 

Alteração dos sais do sangue (cálcio, magnésio e sódio) por imaturidade dos rins;

 

Dificuldade em digerir a dieta por imaturidade do trato gastrintestinal;

 

Dificuldade para crescer, pois gasta muito mais energia do que recebe, pois o crescimento é muito rápido;

 

Infecções, pois o sistema de defesa (imunológico) não estava pronto para defendê-lo dos micro-organismos do ambiente.

 

Em muitos casos, o bebê precisa ficar um tempo internado, na incubadora, recebendo soro, nutrição especial, ajuda para respirar e outros cuidados especiais enquanto seu organismo se desenvolve e amadurece. Nesse momento, é muito importante que os pais, especialmente a mãe, esteja perto para dar carinho, proteção e conhecê-lo melhor.  Infelizmente, podem ser necessárias várias semanas até que a criança esteja pronta para ir para casa.

 

Quando a criança está pronta para ir para casa?

 

 

Quando consegue respirar bem e sozinho

 

Quando está mamando e crescendo bem

 

Quando pode controlar sua própria temperatura

 

Quando está sem infecção

 

Consegue fazer bem xixi e cocô.

 

Isso geralmente acontece quando a criança está com mais ou menos 2000 g. Em alguns casos, pode ser que receba alta antes e, em outros, alta mais tarde. Cada criança se comporta de uma forma e a equipe que atende a criança (médico, fonoaudiólogo, psicólogo, fisioterapeuta) decide junto qual o melhor momento e para a alta.

Nos primeiros meses após a alta, a criança pode precisar de mais cuidados e consultas mais freqüentes ao pediatra e outros especialistas. Mas com o passar do tempo, o bebê vai ficando mais forte e todos ficam mais seguros pois as coisas estão indo bem.

 

 

O que é importante acompanhar de perto nos primeiros meses após a alta:

 

 

Fazer todas as avaliações que forem solicitadas pelo pediatra: oftalmologista, neurologista, fonoaudiologia;

 

Deixar a carteirinha de vacina em dia: inclusive as vacinas especiais

 

O bebê deve estar mamando bem, crescendo e se desenvolvendo

 

É importante lembrar que esses bebês vão ter duas datas de nascimento e, portanto duas idades. A idade real (baseada na data de nascimento real) e a idade corrigida (baseada na data que eles deveriam ter nascido). Todo o acompanhamento de crescimento e desenvolvimento levarão em conta essa “idade corrigida” até os dois anos. Depois segue-se como se fosse uma criança que não nasceu prematura.

 

O que se pode afirmar?

 

 

O crescimento desses bebês pode ser diferente do de crianças nascidas no tempo certo, especialmente nos primeiros meses. Por isso é importante acompanhar bem de perto junto com o pediatra para saber o que é realmente normal e não ficar comparando com outras crianças

 

Essas crianças devem receber aleitamento materno para crescerem e se desenvolverem

 

Esses bebês podem precisar de alguns remédios, vitaminas e acompanhamentos específicos enquanto seu organismo não está adaptado

 

Eles podem ter mais refluxo gastroesofágico e anemia ferropriva.

 

 

Na grande maioria das vezes, com o passar da idade essas crianças evoluem bem e passam a ter uma vida normal, mesmo quando nascem muito prematuros.

carlos
carlos
Médico Pediatra formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Fez Residência Médica em Pediatria pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Membro da Sociedade Brasileira e Paulista de Pediatria. Faz parte do Corpo Clínico dos Hospitais Albert Einstein, Sírio Libanês e Santa Catarina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *