Sinais e Sintomas mais comuns na criança de 2 a 3 anos
24 de abril de 2017
Sinais e Sintomas mais comuns na criança na fase pré-escolar
24 de abril de 2017

A Doença Celíaca acontece quando uma criança, que tem predisposição genética, entra em contato e não tolera o glúten da dieta. O glúten é uma proteína que está contida no Trigo, Aveia, Centeio e Cevada.

 

O que é importante saber?

 

 

Só tem doença celíaca quem tem predisposição genética. Por isso é comum que uma mesma família tenha vários membros, de diferentes gerações, comprometidos.

 

Na doença celíaca há achatamento da vilosidade intestinal, com prejuízo da absorção dos nutrientes. É como se o intestino ficasse inflamado, o que prejudica seu funcionamento normal.

 

A Doença Celíaca não tem cura. Entretanto, é possível ter vida normal se os alimentos que contém glúten não forem ingeridos

 

A Doença Celíaca, na sua forma mais clássica, começa na infância e tem como sintomas diarréia e desnutrição, entretanto, formas não tão clássicas podem acontecer com apresentação clínica diferente. Por exemplo:

 

 

–  Crianças – comprometimento do crescimento (altura), anemia, hipoproteinemia* e irritabilidade.

–  Adultos – osteoporose, constipação e esterilidade ( dificuldade em ter filhos )

 

 

O tratamento da doença celíaca é a total exclusão do glúten da alimentação durante toda a vida.

Deve-se evitar alimentos que contenham trigo, aveia, centeio e cevada.

 

Para fazer o diagnóstico de doença celíaca é necessária a avaliação médica cuidadosa, exames complementares como de sangue (anticorpos contra doença celíaca) e endoscopia digestiva com biópsias de intestino.

 

Para verificar os alimentos proibidos e permitidos, acesse o site www.acelbra.org.br

 

* hipoproteinemia-redução da quantidade de proteína circulante no sangue que pode levar a inchaço no corpo.

 

 

 

carlos
carlos
Médico Pediatra formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Fez Residência Médica em Pediatria pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Membro da Sociedade Brasileira e Paulista de Pediatria. Faz parte do Corpo Clínico dos Hospitais Albert Einstein, Sírio Libanês e Santa Catarina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *