Interprete melhor o rótulo dos alimentos
24 de abril de 2017
O que saber sobre a dengue?
24 de abril de 2017

Febre não é uma doença e sim um sinal de que algum agravo está ocorrendo no organismo da criança.

O controle da temperatura corporal ocorre no cérebro, por neurônios sensíveis ao frio e ao calor, localizados no hipotálamo. Durante a febre haverá a perda temporária desta capacidade de regulação.

A temperatura normal do nosso corpo oscila entre 35,5 a 37 ºC, com média de 36 a 36,5 ºC.

É considerado febre quando a temperatura estiver acima de 37,5 ºC. O local certo para medir a temperatura é na axila deixando o termômetro por 3 minutos, com a criança com pouca roupa. O termômetro de mercúrio é o mais fidedigno, mas há risco de quebrar e vazar o metal tóxico. Os termômetros digitais são mais práticos e seguros, porém menos precisos.

A febre tem efeitos benéficos ajudando a combater infecções por aumentar a produção de anticorpos protetores e inibe a multiplicação de diversos de micro-organismos (vírus e bactérias) invasores. Por isso não há necessidade dos pais terem medo da febre.

O antitérmico deverá ser administrado quando a temperatura atingir 37,8ºC e tem a capacidade de reduzir a temperatura em 1- 1,5ºC. Se a temperatura estiver acima de 39 ºC, um banho morno pode ajudar a diminuir a temperatura enquanto o medicamento esta sendo absorvido, o que demorará de 30 a 40 minutos.

Após a medicação ser dada, demora em média 20 minutos para iniciar a sua ação, portanto neste tempo você deve manter a calma, desagasalhar a criança, podendo dar um banho morno, ou fazer compressas com água na temperatura da torneira na testa, axilas e virilhas.

O Paracetamol e o Ibuprofeno gotas devem ser dados diluídos em um pouquinho de líquido (água ou suco), dependendo da idade da criança, pois o seu gosto pode, as vezes, causar vômitos.

Ofereça bastante água, pois o líquido auxiliará na regulação térmica do organismo e diminuirá o risco de desidratação.

Mais importante do que o grau em que a temperatura está, é observar o estado geral do seu filho, no momento da febre ele ficará prostrado, quieto e molinho, após abaixar à temperatura a criança deverá ficar esperta e reativa.

O risco de convulsão em decorrência da febre surge quando a temperatura sobe rapidamente, naquelas crianças de 6 meses a 5 anos e com histórico familiar de convulsão febril. Este costuma ser um quadro benigno, com duração de 1 a 2 minutos e de boa evolução.

As crianças que deverão ser avaliadas pelo médico são: os recém-nascidos e lactentes com até três meses de vida, por terem um sistema imunológico mais susceptível a infecções graves. A criança molinha, pálida e gemente, independente do grau da temperatura; e os quadros de febre que tiverem uma duração maior que três dias.

 

 

 

 

carlos
carlos
Médico Pediatra formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Fez Residência Médica em Pediatria pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Membro da Sociedade Brasileira e Paulista de Pediatria. Faz parte do Corpo Clínico dos Hospitais Albert Einstein, Sírio Libanês e Santa Catarina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *