Como estimular o desenvolvimento infantil com brincadeiras?
24 de abril de 2017
Características da consulta do adolescente no Pediatra
24 de abril de 2017

Neurologistas, psiquiatras e cientistas cada vez mais nos mostram estudos que comprovam o quanto a música desenvolve muitas habilidades e expande a capacidade de aprender.

A criança que toca bem um instrumento ou tem uma voz afinada, logo chama a atenção de todos. Como a música é algo intrínseco no ser humano, que envolve a emoção, a inteligência e a sensoralidade, ela cativa a todos, desde os bebês aos adultos.

 

Mas como saber se meu filho tem talento para a música?

 

Segundo o dicionário, talento é uma aptidão, natural ou adquirida. Dessa forma, todos podem ter talentos.

Estudos nos mostram que nascemos com aptidões naturais em certas áreas, mas podemos desenvolver as outras também, caso tenhamos o desejo, disciplina e empenho necessários.

Se pensarmos em Wolfang Amadeus Mozart, teremos a certeza que ele tinha um talento musical nato, mas se formos analisar o ambiente no qual foi criado, vamos descobrir que seu pai tocava instrumentos musicais e o incentivava demais. Além disso, Mozart dedicava horas estudando e compondo suas músicas e de outros compositores que gostava.

O que leva as pessoas a desenvolverem competências são: o ambiente que vivem, a educação e as oportunidades que surgem ao longo da vida. Segundo as pesquisas, todo individuo nasce com um vasto potencial de talentos, mas que estes só vão aflorar, se forem estimulados.

A música é uma das inteligências que mais podemos perceber facilmente. Quase todo mundo gosta de música e existe música em todo o lugar e para todos os gostos. Algo interessante, é que estudos mostram que ao ouvir música o cérebro estimula o lado sensorial. Ao aprender música o cérebro irá exercitar o lado racional. A criança que tem contato com a música desde pequena apresentará um cérebro mais ativo e que potencializará não apenas sua inteligência musical, mas também desenvolverá habilidades que facilitarão o desenvolvimento das outras áreas da inteligência.

O papel da família é expor a criança ao contato com a música, comprando CDs de qualidade, investindo em um bom curso de musicalização infantil, levando os filhos em shows infantis que tenham instrumentos musicais, levando-os em uma loja de instrumentos, etc.

As crianças que crescem percebendo o quanto os pais valorizam a música e vendo a função desta linguagem, naturalmente se interessam, visto que, todos podem desenvolver a inteligência musical.

Obviamente, existem graus de talento, e há pessoas que terão mais facilidade em aprender instrumentos e a cantar do que outras. Todos porém, podem desenvolver sua musicalidade se quiserem. Independente do nível de talento, é necessário dedicação, empenho, subterfúgios técnicos e teóricos para que este talento se desenvolva.

 

Mas como reconhecer este talento?

 

Para reconhecermos este talento, é necessário conhecimento na área. As crianças que tem um talento natural para música, tem interesse por esta linguagem desde pequenas. Gostam de dançar com a música, gostam de cantar, ficam atentas aos sons ao redor, dramatizam histórias cantadas, e naturalmente crescendo neste ambiente estimulador, irão demonstrar cada vez mais interesse por canções, dramatizações, instrumentos musicais, shows que envolvem música, etc.

Quando começam a aprender a tocar um instrumento musical, apresentam um bom ouvido musical, e sentem prazer em estudar. Agora, é importante salientar que, as palavras de incentivo por parte das pessoas mais próximas da criança, são de suma importância. Os pais que elogiam pequenos sinais de progresso, valorizam cada música aprendida, gastam tempo ouvindo seus filhos tocarem, naturalmente fazem seus filhos valorizarem a prática do instrumento e perceberem o quanto a dedicação e a disciplina são importantes. Os pais devem ter consciência que a educação musical é um processo gradativo e que é necessário dominar a ansiedade de ambos os lados. A criança de um modo geral deseja resultados imediatos e, ensiná-las a persistir, a não desistir quando surgem os desafios, são treinos importantes para o ser humano e para sua educação global.

Independente de percebermos ou não um talento nato em nossos filhos, investir na educação musical deles, é uma forma de desenvolver não apenas sua musicalidade, mas as outras áreas de inteligência. A criança, por exemplo, desenvolverá sua percepção auditiva, o que facilitará no processo de alfabetização e estudo de línguas estrangeiras.

Durante a adolescência, a música pode tornar-se uma companheira agradável, ocupando-o de maneira sadia. E na vida adulta, poderá ser uma válvula de escape para descarregar o stress do dia-a-dia.

 

Não é a toa que existe o famoso provérbio popular “Quem canta seus males espanta”.

 

A música faz bem ao nosso interior e nos traz grande satisfação e auto-estima, por isso ela é de suma importância para a vida de todos os seres humanos.

 

 

carlos
carlos
Médico Pediatra formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Fez Residência Médica em Pediatria pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Membro da Sociedade Brasileira e Paulista de Pediatria. Faz parte do Corpo Clínico dos Hospitais Albert Einstein, Sírio Libanês e Santa Catarina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *