Prevenção da Obesidade na Infância
5 de junho de 2017
Consumo de gorduras na primeira infância e risco de doenças do coração
5 de junho de 2017

A obesidade acontece quando o organismo acumula o excesso de energia ingerida e não utilizada, na forma de gordura. Esse acúmulo pode ser mais ou menos fácil, de maior e menor intensidade, segundo diversos fatores que aconteceram e acontecem na vida da pessoa.

Quando a pessoa já é obesa o tratamento é adequar o ingerido ao que é gasto para que não haja reserva. Para isso é fundamental uma orientação nutricional associada à prática de atividade física. Infelizmente, a obesidade tem se apresentado de forma cada vez mais frequente entre nós, em todas as faixas etárias. Sabe-se hoje que no Brasil 1 em cada 4 crianças e 1 em cada 2 adultos têm excesso de peso, respectivamente.

O tratamento da obesidade envolve várias etapas da orientação nutricional, sempre estimulando atividade física, que para criança pequena significa brincar e para os maiores pode incluir até atividades competitivas, sem exageros.

Na orientação nutricional é importante que aconteça por etapas e individualizado. Começar pelas tarefas mais fáceis:
• Desfazer mitos e crenças. Ex: só comer frutas e verduras, chocolate engorda, alface emagrece, dieta da lua, remédios.
• Organizar os horários das refeições. As refeições devem ser em número de 5 a 6 ao dia, de 3/3hs.
• Mudar o comportamento: comer devagar (mastigar bem), não comer na frente da TV, não pular refeição, não trocar refeição por lanches.
• Aos poucos, reduzir a quantidade de alimentos que estão em exagero e os ricos em açúcar e gordura. Não há alimentos proibidos mas alguns (ex: guloseimas) devem ser consumidos com moderação.
• Quando tudo estiver indo bem, aí sim é hora de introduzir os alimentos que a criança não gosta e que faltam na alimentação (Ex: verduras cruas em todas as refeições)
• Todas as etapas devem ser acompanhadas de estimulo à atividade física. O ideal seria que a criança usasse 60 minutos por dia para brincar, andar de bicicleta, passear no parquinho, caminhar, andar com o cachorro. Coisas simples, mas que ajudam muito no tratamento e prevenção do excesso de peso.

Quando uma criança tem excesso de peso a chance dela se tornar um adulto obeso é de mais de 30%. Por isso a prevenção do ganho de peso excessivo é a melhor estratégia para se evitar a obesidade e os problemas a ela relacionados para isso é fundamental, desde muito cedo:
• Acompanhamento regular do ganho de peso, índice de massa corporal e alimentação da criança.
• Respeitar a saciedade da criança, ela não deve ser forçada a comer se não está com fome. Mesmo bebês têm capacidade de regular sua vontade de comer.
• Ingestão adequada de proteína – ingestão excessiva de proteína em bebês é um dos fatores mais importantes que se associa o aumento do risco de obesidade no futuro. O leite de vaca,por exemplo, têm 5 vezes mais proteína do que o leite materno.
• A família precisa adequar seus hábitos alimentares para que a criança desde sempre tenha uma alimentação adequada. Os pais são modelo.
• Estimular a prática de exercícios ao ar livre as brincadeiras e atividade física regular. Evitar o sedentarismo, horas e horas de TV, computador e vídeo-game.

carlos
carlos
Médico Pediatra formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Fez Residência Médica em Pediatria pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Membro da Sociedade Brasileira e Paulista de Pediatria. Faz parte do Corpo Clínico dos Hospitais Albert Einstein, Sírio Libanês e Santa Catarina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *