Porque a criança na fase pré-escolar come pouco?
6 de junho de 2017
Mil dias de oportunidades
6 de junho de 2017

Muitas vezes, os pequenos se recusam a comer, seja porque estão brincando e não querem parar, ou pelos argumentos “Não estou com fome”, “Não gosto dessa comida”. São muitos os motivos que tornam a hora do café da manhã, do almoço ou do jantar uma missão quase impossível.
Sabendo a importância da alimentação para a saúde, o bem-estar e a disposição das crianças, os pais tentam de tudo para que o filho deixe o prato limpinho, experimente novos alimentos e não recusem verduras, saladas e legumes. É, nessa hora, que podem acontecer alguns erros bem comuns cometidos pelos pais.

Um dos mais recorrentes é oferecer comida como recompensa. Pense em quantas vezes você ouviu da sua mãe ou avó que, se comesse toda a verdura, ganharia sobremesa? E quantas vezes você disse isso ao seu filhote? É normal querer estimular a criança a comer, porém, você já avaliou como pode estar sendo entendida essa “troca”? Seu pimpolho terá a impressão de que a verdura não é algo gostoso e que a sobremesa é o máximo. Sem contar que, dessa maneira, indiretamente, você acaba estimulando a antipatia do seu pimpolho pela verdura ou prato em questão.

Evite também os lanches fora de hora e não substitua as refeições. Todos nós sabemos que o ideal é fazer seis refeições por dia, mas, se você liberar um lanchinho extra, provavelmente seu filho irá rejeitar a comida que estará no prato mais tarde, afinal, ele não terá fome. Outra situação comum é substituir a alimentação pelo leitinho, o que é um erro. A criança deve, sim, tomar o leitinho diariamente, mas isso não deve acontecer no lugar das principais refeições – café da manhã, almoço e jantar.

Comendo com os olhos

A variedade dos alimentos e a apresentação dos pratos podem ser um grande segredo para a alimentação dos pequenos. Por isso, por mais que seu filho adore macarrão, por exemplo, evite servi-lo todos os dias. Estimule-o a experimentar novos sabores!

Todo mundo tem o direito de não gostar de algum tipo de comida, mas, para isso, é preciso degustar antes. Na hora de introduzir novos alimentos, que tal fazer um prato bem divertido?
O mais importante, sempre, é dar o exemplo. Afinal, não adianta você servir suco ao seu filho se, ao lado, você está tomando refrigerante. Por isso, policie também seus hábitos. Você, seu pequeno e a saúde dos dois só têm a ganhar.
Se seu filho persistir em recusar a comida, converse com o pediatra dele e tire todas as suas dúvidas.
Fonte : Texto original extraído do Blog Vida de Mãe-  http://www.nestle.com.br/vidademae

carlos
carlos
Médico Pediatra formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Fez Residência Médica em Pediatria pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Membro da Sociedade Brasileira e Paulista de Pediatria. Faz parte do Corpo Clínico dos Hospitais Albert Einstein, Sírio Libanês e Santa Catarina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *